sábado, 10 de dezembro de 2011

Duplo sentido [Clarice Lispector]


Não te amo mais
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis
Tenho certeza que
Nada foi em vão
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada
Não poderia dizer mais que
Alimento um grande amor
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...

4 comentários:

  1. Anísia, você notou que de traz pra frente a poesia diz exatamente o contrário? Fantástica essa tal de Clarice... esse era o seu "duplo sentido"... Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Aaahhh!!! Mas é claro que só podia ser vc que ia descobrir e entender o porquê de uma poesia aparentemente tão simples (que nada tem a ver com Clarice) ser tão especial!!!!

    Exatamente Madoniram!!! A poesia é fantástica porque pode ser lida do início para o fim, como do fim para o começo! E tem sentidos contrários!! O que acredito que simboloza também a contraditoriedade do ser humano, seus sentimentos e desejos...!!!!

    Quis colocar essa poesia aqui exatamente pela genialidade de Clarice Lispector na criação dessa obra!!!

    Madoniram, vc é o máximoOO!!!!

    ResponderExcluir
  3. DAMIAO DA SILVA LIMA22 de setembro de 2013 04:08

    essa poesia e algo, indescritível.
    a arte não estar nos olhos de quem ver, ou no ouvido de quem escuta
    estar presente enraizada no coração de quem sente
    arte e sentimento e tudo q respiramos e desfrutamos
    salve essa contemplada escritora q deixou enraizada suas palavras, duvidas, tristezas, conselhos, alegria. e ótimo falar dessa comtemplada escritora CLARICE LISPECTOR.
    Ela era o silencio da noite, mas também era a brisa do mar e acima de tudo o sol q brilhava pela manha
    nossa!!!!!!!!! como eu queria ser dessa época, so me resta as lembranças............
    salve essa grande escritora
    CLARICE LISPECTOR

    ResponderExcluir